quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Conferências Ativas

Deixamos aqui o primeiro convite para a primeira conferência organizada pelo Fusível Ativo. Vai ser dia 20 de outubro, pelas 15h no espaço alkantara. Qualquer dúvida, é só ir aqui.


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Cavaco, deixa-me ir morar contigo!

Na última sexta-feira senti um arrepio quando cheguei à nossa casa, agora habitada pelo Aníbal. Perdão, senhor Aníbal que, com esta pessoa, não há “tu cá tu lá”. Ele vem de uma realidade paralela onde conceitos como “ser pobre” ou “ser economista” têm significados completamente diferentes dos nossos. 

Juntou-se um número considerável de pessoas solidárias umas com as outras, porque estar ali significava um descontentamento profundo, e comum, com o que se passa no nosso país. As palavras eram espalhadas numa onda de vozes que se propagavam rapidamente entre os presentes e chocavam com outras que vinham do sentido oposto numa tempestade de descontentamento. 

Entre um grupo de militares fortemente aplaudido e uma criança que decidiu gritar em plenos pulmões “o governo é cocó”, só não encontrei, para meu espanto, aqueles estudantes eternamente de luto que tenho visto todos os dias pelas ruas do bairro alto, mais mortos que vivos, num passo zombie a abrir caminho entre os milhares de copos de plástico espalhados pelo chão; que uivam durante a noite dificultando-me o sono. 

Apeteceu-me pegar num deles e dizer “Então, pá? Não percebes que esta luta é de todos, mas o teu futuro é maior que o meu, logo as consequências na tua vida vão ser maiores do que na minha vida?”. Mas tive pena dele, de mim, de nós. Segui em frente, com esperança de dia 29 ver mais estudantes num nojo diferente. 



Contas e essas coisas

‎"Governo prepara-se para subir IRS e taxar subsídios no privado"

Então? Não era desta que iam taxar os mais ricos?


quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Diz-me com quem andas...

"Miguel Relvas garante confiar em Paulo Portas"

Vindo de quem vem e vendo a quem se destina, ficamos todos muito mais tranquilos.





quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Pois...


"Soares diz que Governo está "moribundo" e deve ser substituído"

O problema é saber em que década lhe foi dada a primeira facada.




segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A culpa não é da Troika


Após o último sábado, chegou-se à conclusão que nunca uma manifestação foi tão grande, o que comprova o descontentamento do povo, as injustiças sociais, a falta de trabalho, o receio pelo futuro, etc.

Os fatores que deram origem ao protesto foram disseminados na nossa sociedade há muito tempo, foram crescendo lentamente e agora desabrocham a olhos vistos, numa densa acumulação de consequências que não nos deixam ver o passado. 

Focamo-nos, por isso, no que nos está mais perto, no que nos é mais imediato.
As atenções e a raiva viram-se para a Troika, para o FMI, para o Banco Central Europeu e para a Merkel.  

Não foram eles que nos trouxeram aqui (muito embora tenham contribuído, nestes últimos tempos, para um declínio), foi uma sucessão de governos e governantes que sempre privilegiaram as grandes empresas e os grandes grupos económicos, deixando o resto das classes  desprotegidas; Foram as ascensões mágicas de quem passa rapidamente de ministro a gestor privado; foi a constante descredibilização de quem tem poder e/ou de quem nos representa, desde vários autarcas habituados a desvios, a economistas fantásticos que estão no governo; é termos pessoas que se calam constantemente em momentos em deviam falar; falam muito quando deviam estar caladas e por ai fora.

Ou seja, quando a Troika e o FMI saírem daqui, quando a Merkel se reformar, quem é que vai tomar conta do nosso país? Em quem é que acreditamos? Quem irá suceder a este governo, ao governo a seguir?

E ai lembro-me que atravessamos uma crise económica mas, também, uma crise de valores. 









Relativamente às obras do marquês

"O objetivo das mudanças é retirar carros da zona e reduzir a poluição"

E que tal não terem feito um túnel que traz o trânsito diretamente para o meio da cidade?



terça-feira, 11 de setembro de 2012

Rentré

"Crato garante que erros nas colocações de professores serão corrigidos."

Se usarem no sujeito "fulano", escusam de escrever a notícia todos os anos, é só um copy paste.



segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O meu comodismo é igual ao teu


Pela internet, chovem mensagens críticas sobre a passividade em relação à situação política e financeira que se vive em Portugal. As pessoas apontam o dedo, ou melhor, apontam com todos os dedos que têm, até os dos pés. A censura é dirigida aos portugueses, ao comodismo, à aceitação e ao conformismo.

O que estas pessoas se esquecem é que elas próprias são os portugueses acomodados. Já aqui referi a tendência da desresponsabilização da culpa, quando alguém nascido cá se dirige ao nosso povo como “os portugueses são isto e aquilo”. Se somos todos portugueses, o correto é dizermos “nós somos isto e aquilo”. Incluam-se, assumam-se ou mudem de nacionalidade. 

Os ativistas virtuais conquistaram esta revolução, logo, esta é uma revolução sem força física. Se acham mal reajam com atos, porque as palavras são só o rastilho de uma revolução. Não é que seja errado, mas já nos deram muitos rastilhos, o problema é que ninguém acende um fósforo, um que seja. 






terça-feira, 4 de setembro de 2012

1000 horas inventadas

Já falámos aqui da Patricia Geraldes e hoje falamos outra vez. A artista plástica vai inaugurar, este sábado dia 8 pelas 16h, uma exposição intitulada "1000 horas inventadas". 

Tudo vai acontecer no Poço de Ideias, um pequeno espaço na Rua Poço dos Negros, nº15 e 17. 

Apareçam.


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Rouba mas faz

Há já alguns anos atrás, houve uma história cuja a distância no tempo me faz recordar apenas a ideia geral, mas a qual queria partilhar, com todos os lapsos a que tenho direito:

Havia no Brasil uma favela (uma das que ainda deve existir, já que a pobreza não escolhe ser semeada) dominada por traficantes de armas, de drogas e de medo. Um dos habitantes da favela, farto da situação, decidiu fazer justiça pelas suas próprias mãos, de forma a acalmar o seu bairro. Pegou numa arma, foi a casa de cada um dos terroristas favelianos e matou-os.

O individuo foi rapidamente preso e julgado, sendo condenado à prisão por homicídio. A população da favela, indignada, juntou-se numa luta e numa manifestação coletiva pela liberdade deste salvador que só trouxe o bem àquela comunidade, esquecendo que este salvador tinha ceifado vidas humanas, da mesma forma cruel que as suas vítimas o fizeram. 

Quando só vemos os fins sem vermos os meios, corremos o risco de sermos tão cruéis, ou ainda piores dos que acusamos. Da mesma forma, estes “salvadores” são postos em pedestais sem nunca ser criticado o seu caminho até ao andor. Uma vez sagrados, esquece-se o passado, esquece-se o pior de humano que existe neles e em nós, para louvar um presente imediato e um futuro sempre próximo mas muito longe da verdade.


Amorasamente dedicado a:

Alberto João Jardim
Aníbal Cavaco silva e políticos em geral
Avelino Ferreira Torres
Fátima Felgueiras
Isaltino Morais
Jorge Nuno Pinto da Costa
Valentim Loureiro e respetiva família

Peço desculpa se me esqueci de alguém, mas sintam-se integrados, sabem que estarão sempre no meu coração.


Para ilustrar: a virgem que teve um filho.